De que modo a Autoconfiança está Relacionada com a Resiliência?

De que modo a Autoconfiança está Relacionada com a Resiliência?

Neste texto queremos levar até você algumas reflexões que envolvem crenças e pensamentos sobre a nossa autoconfiança, uma das oito principais crenças que constituem a resiliência.

Para iniciar, podemos trazer uma pergunta central sobre qual a razão ou o porquê da nossa autoconfiança estar relacionada com a resiliência?

Já no início das pesquisas desenvolvidas com o tema da resiliência, se apontou que era necessário ter confiança e uma específica autoconfiança para desenvolver resiliência. E podemos ter o entendimento de que, por resiliência ser um posicionamento de comportamentos estratégicos diante de uma situação de estresse ou de alguma adversidade, então é necessário ter uma confiança estruturada e bem desenvolvida para implementar as suas estratégias e o seu modo de pensar.

Como podemos colocar a autoconfiança em prática?

Para esse desenvolvimento será necessário estipular um “COMO” para você colocar a sua autoconfiança em prática. Mas, não devemos estipular as nossas ações com pensamentos intuitivos, agir com comportamentos automáticos e sem planejamento.

Dentro de resiliência é primordial aprendermos que existe um treino que precisa ser feito de forma consistente para fortalecer a autoconfiança e enfrentar o estresse de forma positiva e flexível.

Um treino importante para iniciar esse desenvolvimento, é buscar meios para se colocar em ação para fazer e também agir. Quando praticamos esse treino de colocar em ação o planejamento para enfrentar um desafio ou uma situação de conflito, você está promovendo a sua resiliência por meio da autoconfiança.

Ousadia

Uma segunda possibilidade de fortalecer de modo saudável a sua autoconfiança é trabalhar e atuar com ousadia.

Quando estamos falando de exercícios e treinos de resiliência, as pessoas logo imaginam que é necessário ter ousadia na hora de agir. Mas devemos ter muito cuidado, pois esse pensamento não pode ser uma regra geral. Em muitas situações onde estamos realmente mergulhados no estresse, a ousadia pode não ser necessária ou até mesmo pode sabotar os seus comportamentos para uma melhor resiliência.

A ousadia pode ser positiva quando nos preparamos para os momentos turbulentos e desafios que vamos enfrentar, é o momento de ter iniciativa para colocar em prática os nossos planos e ações. É importante entender que o sentido de ser ousado(a) é para colocar as suas estratégias e treinos em execução, ter ousadia para colocar-se em ação e não ficar apenas no planejamento.

Para finalizar, podemos detalhar que a autoconfiança é a capacidade que temos de nos sentir capazes de se colocar em ação e executar com ousadia os nossos planos e estratégias de resiliência.

Expliquei com detalhes essa linha de raciocínio no último vídeo do canal – Coaching em Resiliência no Youtube e você pode acompanhar logo abaixo.

Share

Prof. George Barbosa

Graduação em Pedagogia, em Psicologia, Mestrado, Doutorado com ênfase em Psicossomática na PUC de São Paulo. Diretor Científico e Membro pesquisador da Sociedade Brasileira de Resiliência (SOBRARE) e professor da Fundação Vanzolini (USP) e facilitador do Núcleo de Estudos em resiliência da Assoc. Bras. de Recursos Humanos (ABRH-SP). Coach certificado nas modalidades de Coaching Cognitivo de vida, Neurocoaching, Coaching Ontológico e organizador do Coaching em Resiliência (CCR). Associado PCC, MENTOR COAH e Conselheiro na Diretoria da International Coach Federation (ICF) – Capítulo Brasil, Acreditado na International Society for Coaching Psychology – MISCP e ao National Wellness Institute (NWI) e Pós-doutorando em Coaching Psychology e Resiliência (UNIRIO).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *